quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Turismo doméstico em alta no país


O mercado de turismo no Brasil está reaquecendo e as pessoas estão conhecendo e aproveitando cada vez mais os destinos nacionais. No Zarpo, agência de viagens online com foco em turismo de luxo, as hospedagens brasileiras representaram 68% das reservas em 2016 e a estimativa é que o número aumente para 80% em 2017.

Para fugir do senso comum, o site fez um levantamento dos principais destinos dos brasileiros para pacotes nacionais, fugindo de locais famosos como Salvador, Rio de Janeiro e Porto Seguro.

1. Angra dos Reis - RJ

Localizada no litoral sul do Rio de Janeiro, a cidade possui 365 ilhas rodeadas de um mar verde-água, praias de areia branquinha e vegetação de Mata Atlântica.

2. Cabo de Santo Agostinho - PE

A pouco mais de 30 quilômetros da capital Recife, a cidade é uma ótima opção para quem curte badalação e ondas. A Praia do Paiva é um dos melhores destinos para quem quer surfar.

3. Cesário Lange - SP

Próxima à região metropolitana de São Paulo, um dos grandes atrativos da cidade é o Mavsa Resort, que atrai turistas para temporadas ou finais de semana.

4. Lins - SP

Localizada a 429 quilômetros da capital, a cidade é um ótimo destino para levar a família inteira. Suas águas termais e roteiros rurais complementam o roteiro, que também conta com diversas atrações gastronômicas e de lazer

5. Atibaia - SP

A cidade é um dos destinos prediletos dos paulistanos que buscam contato com a natureza, tranquilidade e atividades para adultos e crianças. A 70 quilômetros da capital, oferece vários pontos turísticos como A Pedra Grande, Represa da Usina e Reserva do Vuna.

(Fonte: site Jornal de Turismo)

Calendário de eventos do Mtur registra recorde no número de cadastros


As festas e eventos que acontecem nas diferentes regiões do país são reflexo da cultura e história do povo brasileiro e podem ser aproveitadas pelos turistas que desejam viajar e conhecer mais os destinos brasileiros. Pensando em ajudar neste planejamento, o Ministério do Turismo criou, em 2016, o Calendário Nacional de Eventos, um site que contou com um número recorde de cadastros neste ano.

Apenas em 2017, 1.421 eventos foram inscritos no Calendário. Um crescimento de 60% em relação ao ano anterior, 886. Os números comprovam um maior engajamento dos organizadores de eventos e Secretarias de Turismo de estados e municípios, que são responsáveis por enviar o conteúdo dos eventos ao MTur, que recebe as informações, as organiza e divulga na ferramenta online.

São feiras, festivais, desfiles, aniversários, eventos esportivos, científicos e estudantis inseridos no Calendário, que permite a consulta por datas, estado e município. A ferramenta também facilita a busca do usuário, que pode escolher, durante a consulta, o tipo e a categoria do evento que deseja encontrar. 

Dentre os eventos mais inseridos no Calendário estão os que pertencem a categoria Artístico/Cultural/Folclórico (489), o que demonstra a forte presença da cultura nos destinos brasileiros. Em seguida, os mais inscritos são: Religioso (193), Comercial ou Promocional (186), e Científico ou Técnico (127). Categorias como Moda, Esportivo, Gastronômico, entre outras, também fazem parte do sistema de busca.

Quem desejar ter o evento divulgado no Calendário precisa fazer um rápido cadastro do evento no site.“O Calendário de Eventos auxilia tanto o viajante como aqueles destinos ou pessoas que querem divulgar seus eventos turísticos. Portanto, ele é uma ferramenta que agrega valor à imagem dos nossos destinos e que promove, de forma simultânea, turismo e cultura”, comentou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

WEBSÉRIE - Para mostrar toda a diversidade do Calendário, o Ministério do Turismo produziu, este ano, a Websérie Grandes Eventos do Brasil. A cada mês, a Pasta exibe em suas redes sociais um vídeo gravado em uma das festividades. A Paixão de Cristo em Pernambuco, o Festival de Dança de Joinvillle (SC) e o Rock in Rio (RJ) já foram tema da iniciativa. As produções mostram, além da beleza e diversidade das atrações, o impacto econômico dos eventos nas economias locais.

(Fonte: site do Ministério do Turismo)

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Airnb apresenta as 10 cidades mais hospitaleiras do Brasil


O Airbnb, a maior plataforma de compartilhamento de lares do mundo, anunciou nesta sexta-feira (29) um ranking com os destinos mais hospitaleiros do Brasil. Para chegar na lista das 10 cidades que melhor recebem no país, a plataforma avaliou as classificações cinco estrelas creditadas por seus usuários aos anfitriões nos últimos 12 meses. O TOP 3 é liderado por São João Del Rei em Minas Gerais, Penha em Santa Catarina e Teresópolis no Rio de Janeiro.
Confira a lista dos 10 destinos mais hospitaleiros do Brasil:
1 - São João Del Rei, MG

2 - Penha, SC

3 - Teresópolis, RJ

4 - Bento Gonçalves, RS

5 - Piumhi, MG

6 - Florianópolis, SC

7 - Resende, RJ

8 - Vitória, ES

9 - São José dos Campos, SP

10 - Caxias do Sul, RS

Parte do circuito de cidades históricas, São João del Rei é o destino mais hospitaleiro do Brasil. De acordo com a superhost Eliane Agostini Monteiro, que recebe hóspedes em duas suítes disponíveis em sua casa, a charmosa cidade não atrai turistas apenas por aliar um colorido lindo, arquitetura, artistas e gastronomia. “São João del Rei é aconchegante e o mineiro, especial. Somos hospitaleiros e alegres. Isso é uma coisa particular e natural do nosso povo e contagia a todos que nos visitam” explica ela. Além de conhecer as atrações do centro histórico com as lembranças do Brasil Colônia como casarios, igrejas e museus, Eliane sugere também que o viajante desbrave as cidades vizinhas “Estamos rodeados de destinos riquíssimos como Tiradentes, com seu festival gastronômico, Carrancas, com belas cachoeiras, Bichinho e seu artesanato, Resende da Costa e a arte têxtil entre outras” enumera. 
  
O crescimento de São João del Rei no Airbnb só mostra que os brasileiros concordam com o ranking. A cidade registrou um aumento de 145% nas chegadas de hóspedes no último ano e de 124% no número de anúncios na plataforma no mesmo período.

Um dos destinos mais procurados pelas famílias brasileiras figura em segundo lugar da lista das mais hospitaleiras. Localizada no litoral norte de Santa Catarina, Penha é bastante conhecida pela proximidade com o maior parque temático da América Latina, que faz muito sucesso com crianças de todas as idades. Além disso, conta com 19 belas praias e uma gastronomia típica com base nos frutos do mar bastante abundantes na região. 
  
Em terceiro lugar na lista das mais hospitaleiras do Brasil fica a cidade de Teresópolis, no estado do Rio de Janeiro. O destino é conhecido pelo ecoturismo e turismo de aventura, em especial pelo montanhismo e conta com diversos atrativos naturais como o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, com as cascatas do Ibiú e a dos Frades e o pico Dedo de Deus. Ideal para uma viagem em família.

(Fonte: site Jornal de Turismo)


Bandeira Azul: júri internacional aprova todas as candidaturas brasileiras

03 10 17 praia tombo guaruja sp

O Brasil acaba de alcançar uma importante conquista no Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento, definido pela Organização das Nações Unidas como lema de 2017. Reunido na Dinamarca, o Júri Internacional do Programa Bandeira Azul aprovou os 10 candidatos do país indicados à certificação, que reconhece orlas ambientalmente sustentáveis em todo o mundo.

Tiveram renovado o direito de hastear o símbolo na temporada 2017/2018 as praias do Tombo, no Guarujá (SP); a Prainha, no Rio de Janeiro (RJ); a Praia Grande, em Governador Celso Ramos (SC); a Praia da Lagoa do Peri, em Florianópolis (SC) e; a Praia de Nossa Senhora de Guadalupe, em Salvador (BA); além da Marinas Costabella, em Angra dos Reis (RJ); da Marinas Nacionais, no Guarujá e; do Iate Clube de Santa Catarina, em Florianópolis. Já a Marina Kauai, de Ubatuba (SP), poderá ostentar a bandeira pela primeira vez.

O ministro do Turismo, Marx Beltrão, comemora a decisão e diz esperar que o reconhecimento sirva de exemplo a ser seguido. “Essa conquista confere ainda mais força para ações voltadas à sustentabilidade dos nossos destinos de sol e praia. Esperamos que isso sirva de estímulo a outras localidades que possuem grande potencial e que, com o devido empenho, podem conquistar essa importante certificação, muito valorizada por turistas estrangeiros”, incentiva.

A partir desta temporada, o programa também reconhecerá embarcações utilizadas para passeios turísticos sustentáveis. A Água Viva Mergulho, que opera no segmento em Florianópolis, foi agraciada com o título e vai ser o primeiro barco do tipo da América do Sul e exibir o selo.

SOBRE O TÍTULO - O título, concedido pela Fundação para a Educação Ambiental (FEE, na sigla em inglês), certifica localidades que seguem critérios de educação e gestão ambiental e manter a boa qualidade da água, bem como adotar iniciativas de preservação da natureza e responsabilidade social.

As bandeiras serão hasteadas no período de 1° de novembro a 15 de dezembro deste ano, em datas definidas pelos gestores dos locais contemplados. O Ministério do Turismo, que integra o Júri Nacional do programa, apoia a iniciativa como forma de disseminar ações destinadas à conservação da qualidade das águas no Brasil, único país sul-americano com representantes certificados.

Integram ainda o Júri Nacional o Ministério do Meio Ambiente e a Secretaria de Patrimônio da União, entre outros órgãos. Já a representação internacional da FEE é composta por ONGs de 46 países. O programa, iniciado em 1987, na Europa, e em 2004, no Brasil, já reconheceu quase quatro mil espaços.

SUSTENTABILIDADE - Como forma de promover o Turismo Sustentável, o MTur, em parceria com o PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente) e o Ministério do Meio Ambiente, promove o Passaporte Verde. A campanha recomenda a adoção de atitudes responsáveis por viajantes, incentiva o engajamento de empresários do setor nas iniciativas e oferece dicas de roteiros que estimulam boas práticas na área.

(Fonte: site do Ministério do Turismo)

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Projeto leva energia solar a extrativistas na Amazônia

IMG 0841

Usar energia elétrica de fonte limpa, com redução do óleo diesel e gasolina, para aumentar a produção das reservas extrativistas (Resex). Esse é o objetivo do Projeto Resex Produtoras de Energia Limpa, uma iniciativa do WWF e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Neste mês, foram instalados quatro sistemas da primeira fase do projeto, todos nas reservas extrativistas situadas em Lábrea (AM), a Ituxi e a Médio Purus. O município registra os maiores índices de desmatamento do estado do Amazonas e, nacionalmente, ocupa a 3ª posição neste ranking.

“Por isso é fundamental o fortalecimento das organizações sociais e o apoio à produção extrativista como forma de ampliar a renda dos moradores locais, evitando novos desmatamentos com a madeira ilegal ou criação de gado”, diz Mara Notthingham, coordenadora de Articulação de Políticas para Comunidades Tradicionais do ICMBio.

Ituxi

A escolha dos sistemas elétricos com energia solar fotovoltaica para uso produtivo foi feita pelas associações extrativistas. Na Resex Ituxi, na comunidade Volta do Bucho, distante a cerca de 200 km da sede do município, ou no mínimo 6 horas de barco rápido (voadeira), foram instalados 3 sistemas. Um para bombeamento de água de poço, um para refrigeração e outro para uso de equipamentos produtivos.

A comunidade aposta no açaí como um potencial importante na região. Por isso, a primeira máquina que funcionou na comunidade com energia solar foi uma despolpadeira. “Nós preparamos a sede da nossa associação com uma área específica onde vamos trabalhar com o açaí, onde ficará a despolpadeira e o freezer. Hoje só usamos açaí para consumo próprio, pois é muito perecível e não resiste até chegar à sede do município”, explica Irismar Monteiro Duarte, um dos líderes da Associação dos Moradores Agroextrativistas da Resex Ituxi.

Quando a despolpadeira não estiver em uso, a energia solar será usada pelo agente de saúde local, que faz o controle da malária através de microscópio, além de outros fins comunitários, como rádio e carregamento de celulares, por exemplo.

Já com o sistema de bombeamento, toda a comunidade poderá ter água para uso individual e coletivo, além da limpeza de açaí e mandioca para produção. Os moradores deverão concluir uma rede de distribuição da água para todas as casas. Com isso, ganharão qualidade de vida e mais tempo, já que não terão que lavar roupa e louça no rio.

Médio Purus

Na Resex Médio Purus, onde há 97 comunidades e mais de 5.500 moradores, foi instalado o segundo sistema solar do projeto. O sistema faz o bombeamento de água de rio na Comunidade Jurucuá, distante cerca de duas horas de barco rápido da sede.

Com apoio da prefeitura, os moradores construíram uma casa de farinha flutuante, onde instalaram o sistema de bombeamento. Muita gente da comunidade não acreditava que, com energia do sol, seria possível bombear a água do rio para até 50 metros de distância, armazenando-a numa caixa d’água que está seis metros de altura acima da média das casas. “Quando todos ouvimos o som da água na caixa, foi uma emoção muito grande”, relata o gestor do ICMBio responsável pela Resex Médio Purus, José Maria Ferreira de Oliveira.

Neste sistema foi instalada uma tecnologia social desenvolvida por um morador de Lábrea. Francisco Brito Junior criou um filtro submerso – onde é acoplada a bomba d’água – que pode ser enterrado no leito do rio nas áreas de praia ou fixado em estruturas flutuantes nas regiões de barranco ao longo do rio. A segunda opção está sendo testada agora na comunidade Jurucuá. De acordo com o inventor, o filtro purifica a água do rio em 90% antes de chegar na caixa d’agua.

O líder da comunidade, Benedito Clemente de Souza, acredita que, com a água limpa, a comunidade obterá maior valor pela mandioca e farinha que produz, assim como uma melhora na saúde das famílias.

Segundo o diagnóstico socieconômico realizado pelo ICMBio, a maior incidência de viagens até a sede do município para atendimento de saúde se dá em função de diarreia provocada pela qualidade da água. Agora, com a água limpa em casa, esses problemas deverão ser reduzidos, assim como os gastos com combustível, tanto para os barcos que precisam prestar socorro aos doentes quanto com o uso de pequenos geradores fósseis, chamados de motores de luz pelos ribeirinhos amazônicos.

Equipamentos

Parte dos equipamentos utilizados nesses sistemas foram módulos, conversores e inversor recebidos de doação do Ministério de Minas e Energia (MME), do extinto Programa de Desenvolvimento Energético dos Estados e Municípios (Prodeem). O material estava guardado há quase 20 anos em Furnas, no Rio de Janeiro.

O WWF, como apoio do ICMBio, concorreu ao edital de doação do ministério e ganhou um dos lotes, direcionando todo o equipamento para as duas reservas extrativistas de Lábrea. No total, esses equipamentos chegam a 35 kW de energia solar fotovoltaica.

“O equipamento funcionou bem, com algumas adaptações, o que mostra a durabilidade e importância. O que antes estava num depósito que não pode ser usado pelo Programa Luz para Todos, agora vai impulsionar a produção sustentável extrativista na Amazônia”, disse a analista de conservação do WWF-Brasil, Alessandra Mathyas.

Além dos equipamentos doados pelo MME, o projeto conta com a parceria das empresas J. A. Solar, que doou painéis, e Schneider Eletric, e do Instituto Mamirauá, além do suporte técnico da Usinazul, da Universidade Estadual do Amazonas (campus Lábrea) e da prefeitura local.

(Fonte: site do ICMBio)

ABAV: Bondinho Pão de Açúcar apresenta novos produtos


A Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar, empresa que administra o Bondinho Pão de Açúcar, tem apostado em novos produtos e os apresentou durante a Abav Expo 2017. Além do lançamento de roteiros diferenciados, a companhia demonstrou, durante a feira, o potencial do Bondinho na exposição de marcas e produção de grandes eventos.

"Temos investido em novas propostas, não só para nos manter como uma das principais atrações do Rio, como para apresentar a força do Bondinho, no setor de turismo e também de entretenimento" afirma o CEO do Bondinho Pão de Açúcar, Guilherme Marques.

Para demostrar as inovações e relembrar um pouco da história do Bondinho, foram lançadas duas visitas guiadas. O Tour Histórico, um passeio à história e curiosidades do Bondinho e conta detalhes sobre a construção. Já no Tour Casa de Máquinas, o visitante tem acesso ao backstage de toda estrutura do complexo. Os passeios são bilíngues (português/inglês) e têm aproximadamente 1h de duração.

Com um proposta de experiência diferenciada, a empresa apresentou ainda produtos como o Bondinho Exclusivo, serviço premium de transporte e visitação para grupos fechados e o Bilhete Dourado, que recebe o turista em lounge VIP, com brinde de boas vindas e embarque prioritário.O Bondinho Pão de Açúcar tem seu mídia Kit exposto nos stands da Secretaria de Estado de Turismo do Rio de Janeiro – SETUR – RJ e do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas – Sindepat.

(Fonte: site Jornal de Turismo)

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Sete Cidades promove passeio noturno

21931467 10214762620007703 1121073 o
Parque Nacional de Sete Cidades (PI)

Depois de 56 anos de criação, o Parque Nacional de Sete Cidades, no Piauí, se prepara para realizar o seu primeiro passeio noturno. O evento será realizado no próximo dia 5, na nova trilha Vale das Pedras, que leva até o Mirante da Raposa. Na ocasião haverá um luau com o cantor Beibe Viana. O evento começará às 16h, no Centro de Visitantes, com caminhada até o mirante, onde haverá observação do pôr-do-sol e contemplação da lua cheia até às 23h.

O evento é organizado pela Associação de Turismo Meio Norte e tem apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), responsável pela gestão da unidade de conservação. As vagas são limitadas. Os interessados em participar do passeio devem fazer inscrições pelo e-mail parnasetecidades@icmbio.gov.br. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (86) 3343-1342.

O Parque Nacional de Sete Cidades foi criado em 8 de junho de 1961. Fica no município de Piracuruca, no norte do Piauí, e protege cerca de 7 mil hectares de Caatinga. É famoso pelas formações rochosas que, separadas entre si parecem formar pequenas “cidades”. Cada uma delas tem suas cabeças de índio ou de Dom Pedro I, Tartaruga, Arco do Triunfo e o que mais sua imaginação possa “definir”. Há também pinturas rupestres de cerca de 6.000 anos, conhecidas internacionalmente.

(Fonte: site do ICMBio)

Porto de Galinhas (PE) busca intensificar vivência do visitante no destino

Porto de Galinhas busca intensificar vivência do visitante no destino

Enquanto prepara a sua próxima temporada de verão, Porto de Galinhas trabalha firme para se superar na tarefa de corresponder cada vez as expectativas do viajante – do País e do exterior – aqueles que elegem sua proposta pé na areia a mais completa possível. Presente na ABAV – Expo, o balneário empreende ações que são fruto de pesquisa realizada em parceria entre o Porto de Galinhas Convention & Visitors Bureau, a Associação dos Hotéis e a Universidade Federal de Pernambuco. “Nossa campanha de marketing tem como mote “Seja Porto de Galinhas”, que convida todos a viverem em profundidade o tempo de permanência no vilarejo”, assinala Brenda Silveira – diretora executiva do Porto de Galinhas Convention Bureau.

O levantamento, realizado entre os meses de fevereiro e julho desse ano, ouviu 482 turistas que se hospedaram nos principais empreendimentos hoteleiros do destino. Silveiura destaca que os pontos principais da sondagem foram: conhecer o perfil do turista e o nível de satisfação manifestado por ele; aferir o aumento das chegadas de estrangeiros e assinalar questões cruciais apontadas pelo pesquisado como a melhoria dos atrativos noturnos e a insuficiente sinalização para guiar o visitante. Esse último quesito é, inclusive, responsável pela parceria firmada com a bandeira de cartões Elo, que planeja expandir suas transações em Porto de Galinhas e, em contrapartida, prepara um elenco de novidades para mudar, já a partir de janeiro de 2018, no auge do verão, os recursos visuais de orientação ao visitante.

A hotelaria local integra o esforço de tornar ainda mais atraente a experiência em Porto de Galinhas, que hoje conta com 13.500 leitos. Entre 2015 e 2016 foram 600 novos leitos a partir de reformas e modernização nos empreendimentos de hospedagem, uma repaginação que, de acordo com a representante do Convention Bureau gerou 500 novos empregos.

Capacitação

Aos operadores turísticos e agentes de viagens, Porto de Galinhas reforça a capacitação através de road show- realizado desde maio desse ano com término em outubro próximo – em praças emissoras de turistas além fronteira como Buenos Aires, Montevidéu, Córdoba e Rosário. No Brasil já passou por Porto Alegre, Curitiba, Campinas, Ribeirão Preto, Rio, Belo Horizonte, Brasília e Goiânia. Prepara, nas próximas semanas levar informação ao trade de São Paulo, Santos e São José dos Campos. Hoje 44% das vendas do destino são efetuadas pelas agências de viagens. O formato do treinamento aos profissionais do setor segue o modelo original de apresentação – em conjunto com a companha aérea GOL – feita por um mágico e seguida de exibição de um filme líder de bilheteria no momento em sala de cinema da cidade visitada.

(Fonte: site Diário do Turismo)

terça-feira, 26 de setembro de 2017

Turismo de Aventura é tema de curso da ABNT


Uma das áreas que mais cresce no setor de Turismo é o Turismo de Aventura, as atividades que envolvem esse segmento são praticadas principalmente ao ar livre, sendo assim, os cuidados com a segurança tanto de instrutores quanto de clientes são fundamentais. Pensando nisso, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) oferece, entre os dias 23 e 25 de outubro, em Socorro, SP, o curso “Formação de Auditores em Sistema de Gestão da Segurança para Empresas de Turismo de Aventura – ABNT NBR ISO 21101:2014 – Turismo de Aventura/Sistema de Gestão da Segurança/Requisitos”.
 
O curso será realizado em estabelecimento que tem as atividades de turismo de aventura, propiciando práticas de auditoria que serão conduzidas durante o treinamento para avaliar uma operação de turismo de aventura.

A capacitação é voltada para representantes de empresas de turismo de aventura para qualquer atividade, operadoras de turismo, agências de viagem, meios de hospedagem, associações de classe setoriais, professores do curso de turismo e auditores em outros tipos de sistema de gestão.
Entre os temas abordados estarão: Competências do Auditor; Conceitos, fundamentos e princípios de Auditoria; Conceitos e fundamentos de Sistema de Gestão da Segurança; entre outros.

(Fonte: site Jornal de Turismo)

Nova Veneza: um pedacinho da Itália no Brasil

26 09 17 Nova Veneza montagem

Referência em gastronomia italiana, Nova Veneza (SC) tem a cultura fortemente ligada à xará europeia e encanta os visitantes também pela arquitetura, música e danças folclóricas, além do casario tipicamente italiano do centro da cidade. Entre os atrativos históricos, culturais e religiosos mais visitados estão as casas de pedra, construídas no ano de fundação da colônia (1891) e tombadas como patrimônio histórico nacional; o Museu do Imigrante; o Santuário de Nossa Senhora de Caravaggio; a Roda D`água e a Gondola Veneziana, importada da Itália e um dos quatro exemplares em uso fora do país europeu.

A pequena cidade preserva outra herança: o dialeto vêneto. Além dele, quase todos os 14 mil habitantes falam o italiano, que é ensinado nas escolas. Com uma bela paisagem e muitos atrativos naturais, Nova Veneza está rodeada de montanhas da Serra Geral catarinense. Rios cristalinos correm entre montanhas de matas nativas. No Aguaí Santuário Ecológico o turista percorre trilhas e aventura-se na descida de rapel e tirolesa.

Entre as cachoeiras, a da Vila Maria está situada nas escarpas de um vale com cerca de 100 metros de altura. A água despenca outros 100 metros de um paredão e forma uma bela cascata. Outras opções de banho são as cachoeiras do Cantão, Coral e Três Quedas. A paisagem da Serra Geral também pode ser apreciada durante o Caminho da Via-Crucis com 14 capelinhas. O percurso de 2 km começa na Igreja São Marcos e continua na zona rural. Já a Via do Imigrante, antiga estrada rural que liga Nova Veneza ao Distrito de Caravaggio, pode ser percorrida de carro, bicicleta ou a pé, passando por paisagens rurais e matas nativas. O percurso tem 2,6 km.

O artesanato de Nova Veneza, também se inspira na Veneza italiana e prioriza, como lembrança, as máscaras da principal festa local, o Carnevale di Venezia, que acontece sempre na segunda quinzena de junho. Os trajes e máscaras para participar do desfile também são comercializados ou alugados. Foliões mascarados e figurinos especiais reproduzem os nobres europeus de antigamente. A programação inclui shows locais e regionais, grupos folclóricos e de dança.

O evento coincide com a Festa da Gastronomia Típica Italiana. Em cinco dias, a cidade recebe cerca de 50 mil visitantes. A comida típica dos colonos italianos é a principal motivação para o turista visitar Nova Veneza. Um banquete com massas caseiras, polenta, fortaia e vinho.

A cidade é reconhecida como o principal polo gastronômico do sul de Santa Catarina. As cantinas servem pratos que se baseiam no macarrão rústico, carnes e galinhas ensopadas, saladas de batatas com ovos, saladas de "radicio" e tantos outros encontrados nos restaurantes e "cafés coloniais".

ENOTURISMO – Em Nova Veneza, o turista também poderá visitar vinícolas e conhecer o processo de cultivo das uvas e de produção do vinho, além de provar os vinhos coloniais, sucos de uva e grapa (aguardente italiana). Também é possível degustar outros produtos típicos da colônia como geleias, polenta, puína (queijo pré-fermentado), queijos coloniais, pães caseiros e salames.

26 09 17 Nova Veneza 746 gondolas 

(Fonte: site do Ministério do Turismo)