terça-feira, 19 de setembro de 2017

Bahia possui 150 municípios no novo Mapa do Turismo Brasileiro

Bahia possui 150 municípios no novo Mapa do Turismo Brasileiro
Morro de São Paulo (BA)

O Ministério do Turismo (MTur) anunciou na quinta-feira (dia 14) o novo mapa turístico do país. Com a reconfiguração, a Bahia passou de 117 a 150 municípios com reconhecido potencial para a atividade turística.

O Estado se configura como líder do Nordeste e detém quase 20% do total de 758 cidades turísticas da região.

Importante instrumento de planejamento e alocação de recursos do MTur, o mapeamento fornece subsídios para o desenvolvimento de políticas públicas de gestão, estruturação e promoção dos destinos. A partir deste ano, o mapa turístico será atualizado a cada biênio.

O extenso território baiano está dividido em 13 zonas turísticas, que agora passam a agregar 150 cidades que tiveram seus desempenhos econômicos avaliados. Destas, 53 foram enquadradas nas categorias A, B e C, que indicam maior concentração do fluxo turístico nacional e internacional na Bahia, como Salvador, Cairu, Lençóis, Mata de São João, Bom Jesus da Lapa e Juazeiro. As demais figuram entre os destaques do turismo regional.

(Fonte: site Diário do Turismo)

Capim dourado, um ouro de matéria-prima do artesanato do Tocantins

O artesanato com capim dourado é uma tradição familiar no Jalapão (Fotos: Tárcia Oreste)


O artesanato com capim é uma tradição indígena, mas não exclusiva do sertão brasileiro. Na Comunidade Mumbuca, em Mateiros, no Jalapão, que é composta por descendentes indígenas e quilombolas, foi iniciada a tradição do artesanato com o capim dourado, natural da região. A cor dourada da planta é uma das consequências da forte presença de alumínio no solo do Jalapão.

Artesã de Mumbuca, Dejane da Silva Matos, 30 anos, trabalha há 10 anos na confecção de produtos. “Aprendi o artesanato com a minha mãe, é assim com quase todos aqui da comunidade. É um trabalho de famílias”, explica. São mais de 100 associados, de 60 famílias da região de Mumbuca que enviam suas peças para serem vendidas aos turistas. Entre os produtos mais procurados estão as bijuterias. De acessórios a mandalas, o visitante encontra peças que variam de R$ 2 a R$ 500.

COLHEITA

A Festa da Colheita do Capim acontece todos os anos em Mateiros. Entre os dias 15 e 17 de setembro, é feita a colheita do capim, que só nasce nas veredas de Buriti. A partir do dia 20 de setembro, as mulheres da comunidade realizam a Cavalgada Dourada, se enfeitam com bijuterias e saem douradas para passear pelo cerrado.

Para colher o capim no local é necessário ser filiado às associações de artesãos do capim dourado da região. A colheita na fase errada pode levar a planta (Syngonanthus nitens, “que brilha” em latim) à extinção. Durante a colheita, é fundamental cortar a flor que nasce na ponta do filete da planta para espalhar as sementes e dar origem a novas sapatas de capim dourado.

(Fonte: site Diário do Turismo)

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Tudo pronto para a temporada de cruzeiros: vendas já começaram ...

21 11 2016 cruzeiros abremar


No dia 15 de novembro será dada a largada para a temporada de cruzeiros marítimos 2017/18 com uma oferta 10% superior em relação ao ano passado. As vendas já começaram e as promoções para pacotes e serviços podem ser um estímulo para quem acalenta o sonho de viajar de navio pelos principais destinos do Brasil. 

Na maior operadora de viagens do país a venda de pacotes supera as expectativas e cresceram no primeiro semestre mais de 40%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Na temporada 2016/17, por exemplo, a empresa embarcou 110 mil passageiros em cruzeiros pelo Brasil, o equivalente a 42% da oferta de passageiros atendidos por três empresas. Os incentivos vão de descontos de 15% para compras antecipadas, oferta de pacote de bebidas com preços especiais, entre outros.

“Essa retomada, mesmo que ainda lenta, do mercado de cruzeiros é uma ótima notícia, já que este setor tem grande impacto na economia nacional e movimenta o turismo nas localidades que recebem os navios. Gera negócios, empregos e tem participação importante na arrecadação de impostos”, comenta o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

Uma das novidades da temporada é a inclusão de Balneário Camboriú (SC), oitavo destino mais visitado a lazer no país por estrangeiros em 2016, na rota dos navios. Uma boa notícia para país que querem viajar com crianças e terão a oportunidade de conhecer um dos parques temáticos mais frequentados do país, o Beto Carrero World, além de Blumenau e praias como Porto Belo e Bombinhas.

A expectativa da Clia Brasil, entidade que reúne os principais armadores do mundo, é embarcar 427 mil passageiros até o final da temporada, em abril de 2018. No total, sete navios farão 121 roteiros por 15 cidades brasileiras e 3 da Argentina e Uruguai. “Estamos com cerca de 10% a mais de oferta nesta temporada com mais minicruzeiros e saídas do Rio de Janeiro”, comenta o presidente da instituição, Marco Ferraz.

Outra novidade da temporada, além do aumento da oferta de cabines mesmo com a manutenção do número de embarcações; é ampliação de rotas de cruzeiros de curta duração, os minicruzeiros.

(Fonte: site do Ministério do Turismo)

Rio de Janeiro é o melhor destino turístico esportivo


Consagrado como Oscar do turismo internacional, o World Travel Awards Latin America 2017 premiou o Estado do Rio de Janeiro como melhor destino turístico esportivo, durante a sua 24º cerimônia, realizada em Cancun, no México. Na ocasião, o Rio Convention & Visitors Bureau também foi agraciado como a melhor entidade de turismo da América do Sul. O troféu World Travel Awards reafirma o potencial do Rio para receber eventos.

Na próxima terça-feira, o Secretário de Turismo, Nilo Sérgio, o presidente da Turis-Rio, Paulo Senise, e a presidente do RioCVB, Sonia Chami, vão receber os jornalistas para apresentar o troféu e falar sobre as próximas ações, direcionadas ao turismo.

(Fonte: site Jornal de Turismo)

Vai uma cachaça aí ?

13 09 17 cachaca mtur 1
Branquinha ou amarela? Adocicada ou amarga? A pinga, caninha, aguardente, parati ou simplesmente cachaça é um produto de origem brasileira que atrai turistas apaixonados por aromas e sabores e tem até proposta de data especial de comemoração. O dia 13 de setembro é a data que o Instituto Brasileiro da Cachaça (IBRAC) busca instituir, por meio de Projeto de Lei na Câmara dos Deputados, como "Dia Nacional da Cachaça".

Originada nos engenhos, entre 1516 e 1532, a cachaça é um dos destilados feitos com cana-de-açúcar mais consumidos no mundo e pioneiro na América Latina. Tanto que foi criado antes mesmo do aparecimento do Pisco, da Tequila e do Rum. Reconhecida mundialmente como um patrimônio brasileiro, a bebida é responsável pela geração de cerca de 600 mil empregos diretos e indiretos.

Hoje, o Brasil produz, por ano, quase 800 milhões de litros da bebida e conta com cerca de dois mil estabelecimentos e quatro mil rótulos de aguardente registradas no Ministério da Agricultura. Entre os principais estados produtores estão São Paulo, Pernambuco, Ceará, Minas Gerais, Paraíba e Espírito Santo. Na outra ponta, os maiores apreciadores da famosa “pinga” estão em São Paulo, Pernambuco e Minhas Gerais, além de Ceará e Bahia.

Em Minas Gerais, a bebida inspirou a criação do Circuito Turístico da Cachaça, lançado há apenas três meses, e reúne cinco municípios - Salinas, Taiobeiras, Rubelita, Fruta de Leite e Indaiabira - responsáveis pela produção de cerca de 70 rótulos da bebida tipicamente mineira, incluindo a Havana, considerada uma das melhores do mundo e que tem sua produção totalmente artesanal.

Na outra ponta, os maiores apreciadores da famosa “pinga” estão em São Paulo, Pernambuco e Minhas Gerais, além de Ceará e Bahia. Mas se engana quem pensa que a bebida desperta paixões apenas entre os brasileiros. Mais de 54 países exportam a bebida, o que gerou, em 2016, uma receita de quase R$ 44 milhões. Os países que mais exportam são Alemanha, Estados Unidos, Paraguai, Uruguai e França.

HISTÓRIA - O destilado faz parte da cultura e da história do Brasil. Isso porque, após a cachaça ultrapassar o número de vendas da bagaceira - bebida alcóolica portuguesa -, a corte proibiu a produção e comercialização do produto, o que gerou uma rebelião encabeçada por fazendeiros e produtores da bebida. Nascia aí, em 13 de setembro de 1661, a Revolta da Cachaça, movimento que abriu caminho para a legalização do destilado.

Para quem vai degustar, é bom ficar atento às diferenciações. Existem cachaças conhecidas como branca e amarela. A diferença é que a bebida de cor amarelada fica armazenada em madeiras típicas dos biomas brasileiros, como o Carvalho, a Amburana, o Jequitibá, o Amendoim, o Bálsamo, o Ipê, o Freijó, o Eucalipto e a Castanheira. Já a cachaça branca não passa por esse processo. Ambas podem ser consumidas puras ou em drinks como o Mojito, Margarita e claro, a famosa Caipirinha que, originalmente, é com cachaça.

(Fonte: site do Ministério do Turismo)

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Ministério do Turismo inicia pesquisa para identificar perfil do turista nacional


Entender o perfil do viajante brasileiro e obter, assim, informações que auxiliem a formulação de políticas públicas de estímulo ao setor de viagens no país. Esse é o objetivo de uma pesquisa que o Ministério do Turismo irá fazer com moradores de 137 municípios brasileiros (confira a lista completa). O processo será dividido em duas etapas: cadastro de pessoas interessadas em participar e, posteriormente, aplicação do questionário com as perguntas definidas pela Pasta. A primeira fase terá início esta semana e tem como meta cadastrar 30 mil domicílios.

Caberá à Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) realizar as ligações para as residências de municípios selecionados - 27 capitais e outras 110 cidades - para coletar informações sobre as viagens realizadas nos últimos 12 meses e identificar os interessados em participar da pesquisa de Demanda Doméstica a ser iniciada no primeiro trimestre de 2018. A seleção dos municípios foi feita a partir de uma amostra aleatória que buscou ampliar a representatividade da pesquisa.

A metodologia da pesquisa a ser implementada em 2018, com coleta de dados por Painel, é pioneira no Brasil para o monitoramento da atividade turística. Com ela será possível obter resultados da movimentação dos fluxos de turistas e dos seus gastos entre as diferentes regiões do País. O último levantamento de turismo doméstico foi realizado em 2011.

“Temos um enorme potencial de turismo doméstico e queremos avançar para garantir que cada vez mais brasileiros possam viajar pelo seu país. Para isso, precisamos entender o comportamento desses turistas: o que desejam, destinos preferidos e atividades mais procuradas”, explicou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

Em abril, o governo federal lançou o Brasil + Turismo, pacote de ações para impulsionar o turismo no país. Uma das metas é chegar, em 2022, a 100 milhões de viajantes domésticos, ante os 60 milhões registrados atualmente.

(Fonte: site do Ministério do Turismo)

Rock in Rio deve gerar R$ 74 milhões em hospedagem



O RioCeptur, Centro de Pesquisas do Rio Convention & Visitors Bureau, calculou o impacto econômico que será gerado pelos hóspedes durante o Rock in Rio. Segundo a análise, com base na pesquisa prévia divulgada pela Associação de Hotéis do Estado do Rio de Janeiro (ABIH-RJ), a receita potencial em hospedagem será de R$ 74 milhões, representando a arrecadação de R$ 3,7 milhões em Impostos Sobre Serviço (ISS) para os cofres municipais. 

De acordo com a ABIH-RJ, o primeiro fim de semana do evento (15 a 17.09) conta com 67% dos quartos reservados. Segundo a análise do RioCeptur, o percentual representa a ocupação de 40.200 quartos de hotéis e 168,8 mil hóspedes em potencial, que devem gerar uma receita de R$ 29 milhões.
Na segunda semana do Rock in Rio (21 a 24.09), a pesquisa prévia da ABIH-RJ aponta que 77% dos quartos já estão reservados. Cálculos do RioCeptur indicam que a taxa representa a ocupação de 46.200 quartos, com 258,7 mil hóspedes em potencial e receita estimada em R$ 45 milhões.

A análise do RioCeptur ressalta, ainda, que, mesmo com 15 mil novos quartos de hotéis na cidade, as reservas para a segunda semana do evento já superam o mesmo período do último Rock in Rio, quando a hotelaria contou com 63,03% dos quartos ocupados. Para a primeira semana do evento, a diferença é de apenas 5%. Em 2015, o balanço final da ABIH-RJ registrou 73,06% de ocupação.

(Fonte: site Jornal de Turismo)

Expoflora: crescimento previsto para o setor de floricultura neste ano é de 9% em relação a 2016

Expoflora: crescimento previsto para o setor da floricultura neste ano é de 9% em relação a 2016


Com novidades em cores, formatos e texturas, a Expoflora apresenta as novas tendências do mercado floricultor, apontando índices de crescimento em 9% comparado ao ano passado e valores na casa dos bilhões. A feira começou suas operações no dia 25 de agosto e vai até o dia 24 de setembro, ocorrendo de sexta à domingo, das 9h às 19h.

O evento é realizado anualmente para dar as boas-vindas à primavera em Holambra (junção das palavras Holanda, América e Brasil), cidade da região de Campinas, distante 140 km da capital paulista.

Uma espécie de fashion week das flores, a Expoflora espera cerca de 300 mil visitantes. A Prefeitura Municipal da Estância Turística de Holambra, o Banco do Brasil e outros grupos apoiam o evento. Além disso, cerca de 400 produtores expõem suas flores e plantas ornamentais, fomentando o comércio em todo o país.

A Expoflora é o local principalmente onde são lançadas novas modas de paisagismo e decoração, avaliando a aceitação do consumidor perante ao produto.
Números

A charmosa cidade, uma antiga colônia holandesa, apesar de contar com pouco mais de 13 mil habitantes, é o maior centro comercializador de flores e plantas ornamentais do Brasil. As duas cooperativas de Holambra – Veiling e Cooperflora – respondem por quase a metade (45%) das vendas do setor.

Os lançamentos e as novidades têm contribuído para manter o mercado de flores aquecido e crescente, mesmo nesse período de crise, na contramão de outros setores da economia. Segundo o Ibraflor – Instituto Brasileiro de Floricultura -, o crescimento previsto para este ano é de 9% em relação ao ano passado e faturamento estimado em R$ 7,2 bilhões.

Cacto no formato de coração
Mandacaru sem espinho
Mini-orquídea com até 60 flores, Mini-antúrios com flores que podem chegar ao tamanho de uma unha
Flores no formato de estrelas
Kalanchoes laranja com leve cheiro de mamão papaya ou na cor rosa com flores maiores que as convencionais
Ervas em potes para o público gourmet.

Essas são apenas algumas das novidades em flores e plantas ornamentais que os produtores de Holambra (cidade a 140 km da capital paulista) apresentam na 36ª Expoflora. 

(Fonte: site Diário do Turismo)

terça-feira, 5 de setembro de 2017

Expositores do Festuris comemoram crescimento em 2017


As companhias aéreas, Avianca, Gol, Latam e Azul, expositoras da 29ª edição do FESTURIS - Feira Internacional de Turismo deste ano, tiveram um aumento de 4,59% em sua oferta de transporte, em relação ao ano passado.

Dados da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), mostram que neste ano houve um crescimento de 3,83% na busca por voos domésticos e de 4,43% no volume de passageiros transportados, somando 8,6 milhões de viagens realizadas. A pesquisa foi um comparativo entre julho de 2017 e o mesmo período de 2016.

“Um dos pontos fortes do FESTURIS é a participação das principais companhias aéreas do mundo. Os números que apontam o crescimento são uma prova que este setor continua aquecido. Em 2017, mais uma vez, teremos a participação ativa das aéreas assinando espaços e com uma oferta de produtos e novidades que irão proporcionar bons negócios durante a feira”, destaca Eduardo Zorzanello, um dos CEOs da feira.

FESTURIS GRAMADO

O FESTURIS ocorre de 09 a 12 de novembro, em Gramado na Serra Gaúcha, e vai ocupar 22 mil metros quadrados, no Serra Park. Também faz parte da programação uma intensa grade temática com cases de sucesso que compõem a lista de palestrantes do Congresso FESTURIS que é realizado no Palácio dos Festivais.

O credenciamento está aberto e pode ser feito pelo site: www.festurisgramado.com.

Programe-se:

Dia 09/11 

19h30 - Solenidade de Abertura (Palácio dos Festivais)

Dia 10/11 8h30 às 12h - Congresso FESTURIS (Palácio dos Festivais)

13h45 às 20h - Feira de Negócios (Serra Park)

Dia 11/11 

8h30 às 12h - Congresso FESTURIS (Palácio dos Festivais) 

13h45 às 20h - Feira de Negócios (Serra Park)

(Fonte: site Jornal de Turismo)

Plano de turismo de Campo Grande (MS) é apresentado




Campo Grande (MS) quer ser conhecida nos próximos 10 anos como referência no turismo de eventos. A meta foi anunciada nesta quinta-feira (31) pela prefeitura municipal, em parceria com o Sebrae local e a Associação Brasileira de Hotéis (ABIH-MS). Conhecido como um destino de ecoturismo, natureza e aventura, o Mato Grosso do Sul tem, em sua capital, a possibilidade de explorar o turismo de eventos, impulsionado pela realização de feiras de negócios, congressos e exposições.

O plano foi elaborado ao longo de seis meses de forma colaborativa. As contribuições resultaram em uma proposta para o desenvolvimento do turismo da capital até 2027. Com 118 anos, a cidade ainda não tinha um documento oficial para orientar a atividade turística.

“Os planos de turismo são importantes para que nossos destinos explorem ao máximo todo o potencial turístico garantindo a geração de empregos e movimentando as economias locais”, afirmou a secretária nacional de Qualificação e Promoção do Turismo, Teté Bezerra.

Apesar de vocacionada para o segmento de eventos e negócios, o plano também tem entre suas prioridades o desenvolvimento do turismo cultural, gastronômico, rural e ecológico. O Plano Municipal de Turismo deverá contribuir, ainda, com o desenvolvimento de outras atividades. “O lançamento deste plano é um marco para o turismo na cidade e permitirá que avancemos cada vez mais nessa atividade tão importante”, disse o prefeito Marquinhos Trad.

JORNADA DO TURISTA – Seguindo o modelo de Melbourne, na Austrália, a metodologia utilizada para construir o plano foi espelhada no planejamento de uma viagem. Os colaboradores participaram de cinco fases: Planejamento e reservas; Viagem ao destino; A chegada; No destino e Partida. Cada passo foi amplamente estruturado e apresenta objetivos e indicadores a serem alcançados.

A cada ano, até 2027, o plano passará por atualizações. Durante as revisões serão considerados os resultados obtidos no período e a criação de novas metas para alcançar a visão de futuro mencionada no documento para o turismo da capital.

(Fonte: site do Ministério do Turismo)